O que é BIM?

O termo BIM é cada vez mais citado, referenciado e usado na indústria de AEC (Arquitetura, Engenharia e Construção), no entanto seu significado, aplicação e potencialidades ainda estão situados em um campo um pouco nebuloso para muitos profissionais.

O objetivo deste texto, é portanto, o de explorar brevemente o conceito de BIM, como ele vem sendo aplicado e quais benefícios podemos esperar que ele traga para a indústria de AEC.

O que é BIM?

A sigla BIM significa Building Information Model ou Building Information Modeling, que em português poderia ser traduzido como Modelo de Informação da Construção ou Modelagem de Informação da Construção.

BIM é o processo de criar e gerir informações sobre uma edificação ao longo de seu ciclo de vida. O processo se inicia já nas primeiras fases do projeto, ou até mesmo do estudo de vialibidade, e se estende pela orçamentação, planejamento e acompanhamento da obra e gestão da edificação, podendo chegar, em alguns casos, até o seu descomissionamento.

O BIM envolve a representação geométrica, relações espaciais, dados geográficos, quantidades, propriedades construtivas e de montagem da edificação.

Como descrito no livro “BIM Handbook: A Guide to Building Information Modeling for Owners, Managers, Designers, Engineers, and Constractors“:

“When implemented appropriately, BIM facilitates a more integrated design and construction process that results in better quality buildings at lower cost and reduced project duration”

Em tradução livre: Quando implementado apropriadamente o BIM facilita o processo de integração do projeto e da construção, resultando em edifícios de melhor qualidade, menor custo e projetos mais rápidos.

O Modelo

O modelo é o elemento central do processo BIM.

O modelo BIM é mais do que uma simples representação 3D, como seria o caso de uma maquete eletrônica, ele é o elemento que condensa todas as informações da edificação.

É no modelo que estão dispostas todas as relações geométricas, mas também todas as relações de quantitativos, geográficas, especificações, características técnicas, dentre outras, todas definidoras da edificação e de seus elementos.

O BIM na fase de Projeto

Na fase de projeto e estudo de viabilidade as ferramentas BIM permitem a representação precisa, consistente e integrada dos diversos elementos da construção, além disso ela permite a representação integrada de todas as vistas do modelo, de forma automatizada. Isso quer dizer que cada elemento é presentado automaticamente nas vistas de planta, elevação, cortes, detalhes e vistas 3D em sua posição, dimensão e especificação estabelecidos. Esta propriedade é um fator, que por si só, já seria de grande valor, na medida em que elimina inconsistências na documentação, gerando menos erros, menos retrabalho, menores custos e maior produtividade.

O projeto, no entanto, tem ainda mais benefícios com o BIM já que permite, por exemplo, análises energéticas e de sistemas que visam economia de energia e de recursos.

Permite ainda projetos de melhor qualidade, com significativa diminuição de erros, na medida em que os conflitos intra e inter disciplinas são mais facilmente percebidas, não só em razão do ambiente de projeto 3D e da concentração de todos os sistemas em um único modelo, mas também por conta das ferramentas próprias para esta finalidade, que detectam interferências de forma automatizada, nas chamadas sessões de clash detection, ou detecção de interferências.

No Brasil a área de projeto é, sem dúvida, a que vem aplicando de forma mais consistente as ferramentas BIM, no entanto, o processo BIM não pára e nem se restringe ao projeto.

O BIM na fase de Orçamento – 5D

Na fase de orçamentação o BIM permite que os quantitativos sejam extraídos de forma precisa e automatizada a partir dos modelos gerados na fase de projeto. Estes quantitativos podem estar diretamente associados a custos unitários e acustos de serviços, gerando orçamentos de forma rápida, precisa e segura.

O BIM na fase de Construção, Montagem e Planejamento da Obra – 4D

A integração do BIM com softwares de planejamento pode permitir ainda a construção de simulações que permitirão a melhor tomada de decisão quanto ao planejamento da obra, dos recursos financeiros, humanos e técnicos envolvidos na construção e montagem.

O BIM na fase de Operação da Edificação – 6D

Durante a operação da edificação o BIM pode auxiliar na manutenção preventiva, na gestão de sistemas elétricos, de VAC (ventilação e ar condicionado), hidráulicos e outros.

Neste caso o modelo BIM deve ser atualizado com os dados da construção, o as built, tendo também sido alimentado com as demais informações relevantes para a manutenção.

O modelo não é, portanto, um elemento estático, mas tem um ciclo de vida, assim como a própria edificação, sempre um espelhando o outro.

Panorama do BIM

O BIM estabelece um novo paradigma na indústria de AEC, elevando os níveis esperados de qualidade, agilizando prazos, diminuindo custos e permitindo melhor desempenho energético.

A aplicação dos processos BIM no Brasil já contam com experiências muito bem sucedidas, isto fica muito claro nos congressos e encontros sobre o tema que acontecem em todo o país, apesar disso ainda há muito espaço para crescimento.

Se você ainda não pegou este este bonde, fique atento e não perca mais tempo.

E você, já faz parte deste novo capítulo do desenvolvimento da indústria de AEC? Como pretende entrar no mundo BIM? Quão traumático ou fluido foi a adoção dos sistemas BIM em seu cotidiano?

Utiliza os comentários e divida conosco sua experiência ou suas expectativas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *